"E me mantive quieta e muda."

Um "Besouro" no ar


Nos anos 1920, época em que a capoeira era perseguida pela polícia, o capoeirista Besouro fez fama no Recôncavo Baiano a ponto de ser citado no livro "Mar Morto", de Jorge Amado, e inspirar Baden Powell e Paulo César Pinheiro na composição "Lapinha". Mais recentemente, foi tema do musical "Besouro Cordão de Ouro", também de Pinheiro. Agora, no filme que leva seu nome, o capoeirista é interpretado pelo estreante Ailton Carmo, professor desse gênero de luta - ele literalmente voa ao estilo dos Kung Fu e suas cenas de luta foram coreografadas pelo chinês Huen Chiu Ku, de "O Tigre e o Dragão". O diretor João Daniel Tikhomiroff incorporou à história elementos do candomblé. A dramaturgia, contudo, é frágil: falta pano de fundo mais realista comum aos filmes de temática afro do Cinema Novo.

Vai mexer com a vestimenta do cinema brasileiro!

Fonte: Istoé

2 comentários:

D i c a disse...

Vi o trailer, mas vou assistir o filme pra poder opinar com mais certeza depois.

É a primeira vez que a capoeira é um dos focos principais de um filme. Isso só vai expandir ainda mais a cultura, divulgar o recôncavo baiano tão rico de história.
Não conheço essa música do Baden Powel,apesar de ouvir bastante ele. Acho que não liguei o nome da música a ele, vou procurar por aqui.

Por fim, não gosto muito da Istoé.


Flor, desculpa ausência aqui. ;*
Beijos!
Adoro resenhas de filmes, assista o filme e comente aqui, suas palavras, sua opinião.

meus instantes e momentos disse...

vim conhecer teu blog.
Gostei daqui.
Tenha um feliz final de semana.
Maurizio