"E me mantive quieta e muda."

A minha cidade sou eu




A cidade que eu quero não seria cheia de flores, muito menos cheia de amores.
A cidade que eu quero só seria sedenta de luz, não solar, elétrica, talvez, a irradiante de cada pessoa, de cada ser iluminante.
A cidade que eu quero seria capaz de reproduzir sentimentos líquidos, no qual escorreria pelo ralo, essa cidade, ela mesma, seria sujeita a falar o que a incomoda.
A cidade que eu quero não seria capaz de viver sem defeitos, ela própria acharia nada encantador não ter defeitos, e não possuir energia para encontrar qualidades.
A cidade que eu quero nada mais é que a livre, sem rumo e sem planos.

5 comentários:

Marcel PH disse...

Cada cidade tem seu charme que encanta de um jeito diferente. Até a mais feia vai agradar alguém que a veja com um olhar diferente.

Flor de Azeviche disse...

Adorei, foi tão Zeca Baleiro =D

D i c a disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
D i c a disse...

Não temos o que queremos, felizmente. =)
Eu quero tanta coisa..

Priscila Rôde disse...

Gostei!
Que bom que existem os sonhos.. :)

Beijos