"E me mantive quieta e muda."

Quase que Dezoito


Logo ali.

Torno-me uma "mulher" confusa.


Estou quase que com dezoito primaveras e mais que mil delírios, devaneios que se dissolvem em água e desejos que engulo com café.
Todos torcem por mais idade porque isso traduz independência, mas agora que ela está tão próxima, que a tal independência venha a ser um presente de si para si eu me retraio. Aos anos eu brindo, isso é vida. Mas as surpresas que a acompanha eu emudeço e só. Não sei se estou preparada para os ofícios de uma garota com 18. Espero que esteja e que eu me saia bem, principalmente porque se trata da minha vida e, consequentemente, das pessoas que de mim tomam conta. Sei que é apenas mais um exato ano de vida e que isso não significa morar sozinha, mas eu espero por me encontrar com mais responsabilidades.
Esperança fugaz de me tornar uma adulta indomável.



6 comentários:

Alan Félix disse...

depois do 18 anos, o mundo tem um peso que apenas nós sabemos.

Prof Lourinaldo disse...

Oi Franci, eu já tive 18 e...passou.
Oi a Clarice...
"a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou?
Bem, isso já é demais...

D i c a disse...

Depois dos dezoito o tempo voa.
E morar sozinha deixará de ser um sonho, independência financeira não virá com o primeiro emprego, cuidar de si sozinha não será tão legal quanto é na imaginação.
Apesar de tudo, é um novo mundo que se abre pra você.


Fran, chore por mim. Eu mereço ao menos isso. ;)
Saudade de te ler, porra!
Tenho carinho enorme por você, e, não conhecer pessoalmente é só um detalhe.. Um dia resolvemos isso.

Marcel Hartmann disse...

18 anos é um medo fantasiado.

Priscila Rôde disse...

O tempo vai voar agora Franci, aperte os cintos! Passa bem rápido mesmo.
Estou adorando a sua volta.. :)

Luiz Carlos dos Santos disse...

Oi Franci,

Parece que ainda tenho dezoito, tamanha a quantidade de dúvidas que me consomem. Acho que essas dúvidas me movem... Mover-se, sempre.