"E me mantive quieta e muda."

Vontade de ficar na minha




E não me entendam, nem tentem.

Eu mesma não consigo me entender.
Sou desconsertante, desprovida de qualquer outra
forma de ser educada, no caso, avisando-nos
do meu sumiço.
1 mês longe de vocês, poucos, mas meus leitores.
Não que eu queira muitos, vocês são o suficiente, enfim..
Sem jeito de dizer que eu voltei
e mais sem jeito ainda de dizer que não sei se vou
continuar escrevendo-me.



6 comentários:

Priscila Rôde disse...

Quando a vontade de ficar nas linhas for mais forte e mais.. desesperadora do que a vontade de ficar na sua, tenho certeza que continuará escrevendo - te. Será um deleite, sem dúvidas.

Beijos Franciflor.

Flor disse...

Poxa, que ruim...
Mas enquanto você estiver aqui, aqui virei.

Beijoo

Marcel Hartmann disse...

Que bom que tu voltou, achei que tinha desistido do blog...

beijo!

ana laura disse...

Ah, que bom saber que vc VÉVI. E melhor, que pensa, conflitua-se e se re-escreve em qualquer parte e lugar. Seja livre para ocupar o espaço que é seu, a qualquer momento e em qualquer vontade.
Mas saiba que a Saudade é uma amiga tão egoista...FICAAAA!!!!

Professor Lourinaldo disse...

Francimare, menina mulher...
Assim disse Clarice Lispector
...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

E viva a vida! Um abração

D i c a disse...

Deixe de frescura.
Escreva-se!