"E me mantive quieta e muda."

Num ímpeto

Domingo comum: filme, TV, internet, em casa com o pai, mãe e irmã, mais cedo alguns parentes de passagem. Nada demais. Simples como outro dia qualquer. Mas foi preciso anoitecer e tentar dormir, meia dúzia de rezas: pedidos e agradecimentos, clichê. Fiz-me em sono e descanso, ou pelo menos tentei. Dormir seria um deleite. Pensamentos rotineiros e esperanças me desfocavam do sono. Despertei-me. E então, me perguntei: "o que se faz as 02:31 da madrugada?", meu pai decretou silêncio absoluto, minha irmã peticionou que não acendesse as luzes: "eu trabalho amanhã", ela falou. Estou me sentindo como aqueles escritores arcaicos (quem dera eu!) que escreve a luz de luminária ou mesmo de um lampião de época (muito arcaico, não?). Ah, eu não possuo a luminária, muito menos o lampião. O que me salva para o entretenimento com as letras é a iluminação de um aparelho celular nokia, e este não faz parte do último lançamento, pelo contrário (hahaha). É, as letras me tira do tédio e do sono, as minhas e a dos outros. O livro do Assis não posso abrir, Estevam e Guiomar que me espere para amanhã. E me espere para amanhã também, por conta da fadiga, um dia pela metade. Isso porque a lua já conta 02:57 hrs e o Anitelli em suas letras musicadas diz assim: "Sonho parece verdade quando a gente esquece de acordar, e o dia parece metade quando a gente acorda e esquece de levantar, ah o mundo é perfeito!." Portanto, vou horizontar meu corpo porque no dia seguinte terei esperanças renovadas sobre a mesa.

Escrito ma madrugada de 14 de março de 2010.

3 comentários:

Marcel Hartmann disse...

O sonho é baseado em verdades e realidades até que venha a razão e o desminta. Tudo é assim: a gente sempre toma tudo como verdade até que algo ou alguém digam o contrário.

beijos!

Priscila Rôde disse...

...esperanças renovadas sobre a mesa e sonhos pausados sobre o travesseiro. Deixe - os lá e quando voltar, continue a escrever o que a vida e a sua inevitável realidade te impediram de alcançar. Escreva como quem escreve sonhos. Um dia realiza. Noite amanhece e vira poesia.
Perca o sono mas, escreva!

Charlie B. disse...

tem dias que me sinto arcaico em tudo, até nos sentimentos, me pego reprsando de tudo, e sinto saudades, oh, beijo.

Charlie B.

Ps. Bem-vinda ao Paranóico.